Gratidão – Como gerar uma cultura de gratidão corporativa?

Tags: , , Publicado em: 8 de agosto de 2017

Não poderíamos começar de outra forma nosso Blog, a não ser escrevendo sobre gratidão.

Pois é… justamente o sentimento da Tamara e meu, durante todo o processo de concepção da SOUL.

Conversamos diversas vezes sobre o quanto estávamos gratas em ter essa oportunidade de concretizar o nosso sonho.  Inclusive, gratidão pelas dificuldades, momentos de tristezas, stress que de certa forma contribuíram para a nitidez do nosso verdadeiro propósito.

E ao semearmos isso no nosso coração, quanta gente do bem apareceu!!!  Família, amigos, parceiros, fornecedores ou simplesmente pessoas que nos deram a primeira oportunidade.

E ao teclar sobre gratidão, fiz uma reflexão sobre a existência desse sentimento durante a minha jornada nas organizações.  Havia momentos em que me sentia completamente grata e plena, mas não era sempre.

Ao relembrar o meu passado, também tive a sensação de não ver com frequência essa cultura de gratidão nas empresas.

Há pesquisas cientificas e devidamente comprovadas que atestam os resultados do sentimento de gratidão em nossas vidas.

Robert Emmons (PHD especializado no tema), psicólogo social e pesquisador da Universidade da Califórnia, juntamente com seu colega, Michael McCullough, psicólogo da Universidade de Miami, descobriram em seus experimentos provas científicas que o cultivo sistemático da gratidão promove benefícios: psicológicos, físicos e interpessoais.

Gratidão, segundo Emmons, tem a capacidade de curar, energizar e mudar vidas.

Philip Watkins, cientista e pesquisador da Eastern Washington University (EUA), ressalta que gratidão neutraliza adaptação e habituação. Nós temos o hábito de pensar que felicidade é somente prazer e alegria ou se sentir bem sobre as coisas que nos trazem prazer. Só que pesquisas sobre sentimentos mostram que “emoções positivas” se desgastam rapidamente. O nosso sistema emocional gosta de novidades, mudanças. Nós nos adaptamos até mesmo às circunstâncias positivas da vida, de modo que em um curto período de tempo, o carro novo, o cônjuge novo, não são percebidos como tão excitantes mais. A gratidão, por sua vez, nos faz apreciar o valor de alguma coisa, nos tornando menos propensos a tomá-la como dada.

Agora, se é algo com benefícios comprovados, por que nossa dificuldade em praticar e tornar isso um hábito?

Creio que justamente pela simplicidade, achamos que é algo complexo. Essa mania boba de acreditar que para o bem é necessário escalar montanhas e sofrer muito…

Em uma das empresas que trabalhei, tínhamos que comemorar o dia do sorriso. E era minha responsabilidade desenvolver ações para essa comemoração. Lembro me que em uma dessas datas, tive uma ideia muito simples, que seria entregar papéis coloridos para as pessoas com a seguinte frase: Faça alguém sorrir hoje! Aproveite o dia de hoje para expressar sua gratidão sobre uma gentileza que recebeu na última semana ou sobre alguma atitude que recebeu de alguém e te fez bem.

Foi uma chuva de papéis coloridos ao longo do dia. As pessoas se divertiam com os comentários e se emocionavam. Gerou proximidade entre os profissionais.

Depois, era sempre cobrada por uma ação semelhante à aquela.  Pois, simplesmente, a energia do bem contagia e contagia muito mais rápido do que a energia do mal. As pessoas anseiam por isso.  É algo poderoso e realmente transformador inspirar pessoas a ter bons sentimentos sobre elas e sobre os outros.

Como você apoia a gratidão corporativa em sua empresa?

Como você prática esse sentimento em sua vida?

Na internet há diversos exercícios para orientar a auto prática, o próprio Robert Emmons, orienta a reflexão diária ou a confecção de uma lista sobre as benções que recebeu ao longo do dia e após fazer isso dentro de uma certa disciplina, esse sentimento é incorporado automaticamente pelo seu cérebro.

Porém, como desenvolver a cultura da gratidão corporativa?  Creio que através da simplicidade e com o primeiro passo dado pela liderança. Agradecer pelo time, resultados alcançados, agradecer os desafios, àquele funcionário que chega 15 minutos antes para se certificar que a reunião ocorrerá bem e etc. Se você é líder, quantas vezes agradece seu funcionário na conclusão de algum trabalho?

Lembro me de um CEO que atendia, ele era francês. Na época era sua BP de RH. Sempre quando atendia suas solicitações, não houve uma vez que não disse obrigada. E era sempre um agradecimento sincero. Era natural.  Sempre muito gentil. E  sabe o que isso me provocava? Eu sempre atendia tudo e no mais curto tempo possível. Me esforçava para fazer tudo  de forma impecável. Era comprometida com ele.

E esse exemplo de liderança, sempre me inspirou. É muito legal trabalhar com gente gentil, não é?

A existência de ações simples como: uma lousa para registrar sempre as gentilezas, a criação do dia do Obrigado (a), pílulas de gratidão corporativa exercida pela alta liderança (frequentemente).  Enfim, dá para ficar horas relatando as possibilidades.

Essa atitude deve ser incorporada na rotina e existência da organização.

Realmente creio que, a simplicidade traz grandes resultados e que as valorizações de gentilezas, provocam uma transformação positiva.

Compartilhe conosco suas ideias para gerar a cultura da gratidão e potencializar essa energia do bem no mundo corporativo.

Com gratidão.

Marina  Soares